Tireoide e doenças do coração, qual é a relação?

tireoide, Tireoide e doenças do coração, qual é a relação?, Abreu Cardiologia

Dia 25 de maio é comemorado o Dia Internacional da Tireoide, data criada para conscientizar a população sobre a importância da detecção e tratamento dessa doença. 

A tireoide ou tiroide é uma glândula que fica localizada logo abaixo do pomo de adão, pesa entre 15 e 25 gramas e tem formato semelhante ao de uma borboleta. Essa glândula tem a importante função de regular as principais funções do organismo e também os órgãos como os rins, cérebro, fígado e o coração. 

Em suma, a tireoide é responsável pela produção de dois hormônios: T3 (triiodotironina) e T4 (tiroxina). Esses, por sua vez, são responsáveis por regular o metabolismo, a temperatura corporal, o sono, a frequência cardíaca, o funcionamento do intestino e funções cerebrais, além de estimular diretamente o desenvolvimento e crescimento das crianças.

E qual é a relação da tireoide com o coração?

Os hormônios produzidos pela tireoide agem sobre o coração, controlando os batimentos e a força de contração do músculo cardíaco. Consequentemente, tanto o excesso quanto a falta deles pode afetar negativamente o sistema cardiovascular.

Existem dois tipos de disfunção da tireoide; o hipertireoidismo, que produz hormônios reguladores em excesso e o hipotireoidismo, quando a glândula da tireoide funciona e produz menos do que o necessário.

Essas disfunções influenciam direta ou indiretamente no sistema cardiovascular, principalmente na função cardíaca, nos vasos sanguíneos e nos níveis de colesterol.

Assim, quando uma disfunção ocorre na glândula da tireoide, alterando a produção normal de hormônios, o coração pode ser afetado de diversas formas. Dentre os possíveis problemas estão o aumento no risco de problemas cardiovasculares, como aterosclerose (que é o acumulo de placas de gordura na artéria) e infarto

Hipotireoidismo e coração: 

Quando ocorre diminuição da produção do hormônio da tireoide o coração enfraquece, tornando seus batimentos mais lentos, o que colabora para a constrição dos vasos sanguíneos e o aumento da pressão arterial. Ademais, também é comum a diminuição da resistência ao esforço físico.

O hipotireoidismo pode também desencadear o aumento dos níveis do colesterol e, em casos mais graves, pode causar insuficiência cardíaca e infarto do miocárdio. 

Em suma, além desses sintomas relacionados ao coração, a diminuição na produção dos hormônios da tireoide (hipotireoidismo) também pode causar: 

  • Dificuldade para emagrecer 
  • Desaceleração dos batimentos cardíacos
  • Alteração de humor, desânimo e até depressão
  • Memória comprometida
  • Distúrbio do sono
  • Pele seca
  • Menstruação irregular
  • Queda intensa de cabelo
  • Intolerância ao frio (sente mais frio do que o normal)
  • Constipação intestinal
  • Inchaço de mãos, pernas e pálpebras
  • Cabelos finos e unhas quebradiças 

Hipertireoidismo e coração: 

O hipertireoidismo é causado pelo excesso dos hormônios T3 e T4 na circulação. Por isso, os tecidos passam a consumir oxigênio mais rápido que o normal.

Sobretudo, se não for feito um tratamento adequado, o individuo pode apresentar alguns sintomas como taquicardia, fibrilação atrial, elevação da pressão arterial, insuficiência cardíaca, palpitação e AVC. 

Dentre os principais sintomas do hipertireoidismo estão:

  • Batimentos cardíacos acelerados
  • Arritmia cardíaca
  • Ansiedade e irritação
  • Intolerância ao calor (sente mais calor que o normal)
  • Intestino solto
  • Emagrecimento inesperado ou dificuldade em ganhar peso
  • Sudorese e tremor nas mãos
  • Perda de apetite

É importante saber que, além dos fatores genéticos, a alimentação também tem influência direta sobre a tireoide. Manter os níveis de micronutrientes equilibrados no organismo é, portanto, uma das formas de colaborar para o bom funcionamento da tireoide.

Sendo assim, é recomentado manter uma alimentação balanceada com peixes, castanha do Pará, leite e derivados, carne vermelha, entre outros alimentos ricos em selênio. Dê preferência para alimentos grelhados e diminua o consumo do sal.

Por outro lado, evite óleos vegetais comuns, açúcar em excesso e alimentos industrializados. Com uma alimentação adequada é possível manter a saúde corporal e mental em dia.

Por fim, se sentir sintomas relacionados à disfunções na glândula tireoide, não hesite em procurar um médico endocrinologista para um diagnóstico preciso e tratamento adequado.

Uma vez diagnosticado, mantenha o acompanhamento com o cardiologista para assegurar o bom funcionamento do coração, durante e após o término do tratamento.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.