Diabetes gestacional: causas, consequências e prevenção

diabetes gestacional, Diabetes gestacional: causas, consequências e prevenção, Abreu Cardiologia, Abreu Cardiologia

A diabetes é uma doença que afeta milhares de pessoas no mundo todo, sendo caracterizada pelo aumento da glicemia, que é a taxa de açúcar no sangue. Segundo a OMS, cerca de 16 milhões de brasileiros sofrem da doença, incluindo a diabetes gestacional.

Existem alguns tipos de doenças que variam completamente em suas causas e consequências, sendo que uma delas ocorre durante a gestação, justificando o nome de diabetes gestacional. Também por isso, é de suma importância que a gestante redobre seus cuidados de saúde nesta fase, realizando um pré-natal correto.

Sabendo dos riscos e da prevalência da diabetes em gestantes, um dos exames que geralmente solicitados a estas pacientes é a glicemia em jejum, a fim de se observar a quantidade de glicose no sangue e sua conformidade com os padrões da normalidade.

Causas da diabetes gestacional

Durante a gestação, o corpo da gestante produz uma série de hormônios, que auxiliam no crescimento e desenvolvimento do bebê. Porém, alguns desses hormônios levam à maior secreção de insulina pelo pâncreas, órgão responsável pela produção de insulina.

A insulina é o hormônio responsável por controlar a quantidade de açúcar no sangue. Assim, quando se ingere uma maior quantidade de carboidratos, o pâncreas fabrica mais insulina, a fim de que glicose no sangue não seja aumentada.

No entanto, muitas vezes o esforço do pâncreas não é suficiente e muita glicose permanece no sangue. Essa glicose, por sua vez, passa diretamente pela placenta e chega ao bebê.

O pâncreas fica sobrecarregado e não dá conta, ou seja, sobra bastante glicose no sangue, condição conhecida por hiperglicemia. A glicose excedente vai sendo armazenada sob a forma de gordura. Ou seja, a gestante ganha peso e o bebê também.

O problema é que esse ganho de peso não é ideal e o bebê acaba ficando maior do que o esperado, sendo que o tamanho nem sempre é compatível com a idade gestacional, o grau de desenvolvimento e maturação dos seus órgãos internos.

Consequências da diabetes gestacional

A maioria das gestantes que desenvolvem diabetes gestacional, se devidamente acompanhadas, darão a luz a bebês completamente saudáveis. No entanto, quando não diagnosticada e não tratada corretamente, a diabetes gestacional leva ao ganho de peso em excesso tanto da mãe quanto do bebê, o que aumenta os riscos para:

  • Parto prematuro;
  • Diabetes tipo 2 (para a mãe e para o bebê);
  • Hipertensão arterial (para a mãe);
  • Pré-eclâmpsia;
  • Hipoglicemia pós-parto (para a mãe e para o bebê).
  • Icterícia (também conhecida por amarelão).

Outra consequência que merece atenção é o risco aumentado de que os bebês vindos deste tipo de gestação tornem-se adultos obesos no futuro. Para a mãe, as chances de desenvolver diabetes gestacional nas próximas gravidezes também é maior, exigindo maior atenção por parte da gestante.

Diagnóstico de diabetes gestacional

Sabe-se que o diagnóstico preciso deve ser feito por um exame de sangue chamado glicemia em jejum, no qual é verificada a glicemia no sangue logo pela manhã, antes da gestante fazer qualquer refeição.

Outros exames também podem ser solicitados, como o teste de tolerância à glicose e curva glicêmica (que significa ingerir uma grande quantidade de glicose algumas vezes no laboratório e ir medindo a glicemia de tempos em tempos, observando como o organismo se comporta com glicose).

O valor recomendado para a glicemia em gestantes é abaixo de 92 mg/dl, ou seja, valores acima dessa marca já caracterizam diabetes gestacional.

Outro exame comum nestes casos é a hemoglobina glicada, que dá o valor glicêmico médio dos últimos 3 meses. Esse exame é bastante utilizado no controle da diabetes, pois permite verificar como a glicose esteve no sangue nesse período.

No exame de hemoglobina glicada, é possível verificar quando a glicose entrou em contato com a hemácia, as células do sangue. Quando isso ocorre, a glicose faz uma marca na hemoglobina, daí o nome do exame.

Sintomas

Os principais sintomas de diabetes gestacional são:

  • Cansaço excessivo;
  • Frequente vontade de urinar;
  • Sede excessiva.

Fatores De Risco

  • Gestação em idade mais avançada;
  • Diabetes gestacional em gestações anteriores;
  • Pressão alta;
  • Peso excessivo antes e durante a gestação;
  • Histórico familiar de diabetes;
  • Triglicérides alto.

Prevenção de diabetes gestacional

Para prevenir a diabetes gestacional, alguns cuidados antes e durante a gestação são muito importantes. Confira:

1 – Manter um peso adequado

Muitas gestantes acham que precisam “comer por dois”. Mas isso não é verdade. Isso porque uma alimentação rica em carboidratos favorece o aumento de peso na gestante e também no bebê, elevando também os riscos de uma diabetes gestacional.

2 – Fazer alguma atividade física

Gestantes podem e devem fazer atividades físicas, desde que liberadas pelo médico obstetra. Assim, gestantes só devem ficar em repouso quando há indicação médica para isso, com em caso de uma gravidez de risco.

Contudo, em uma gestação saudável, a prática de exercícios físicos é incentivada e faz parte do dia a dia saudável de uma gestante.

Algumas atividades recomendadas por sua eficiência e baixo impacto são natação, hidroginástica e caminhadas, que além de fortalecerem a musculatura e relaxarem, também ajudam na manutenção do peso.

3 – Acompanhamento médico no mínimo a cada 30 dias

É importante que a gestante tenha acompanhamento médico a cada 30 dias, no mínimo, e isso inclui a pesagem. Além disso, ultrassons são indispensáveis, pois através deles é possível estimar o peso do bebê, verificando sua saúde e desenvolvimento.

4 – Limitar carboidratos com algo índice glicêmico

Existem alguns alimentos que possuem alto índice glicêmico. O que é isso? São alimentos que, quando digeridos, fazem com que a glicemia suba rápida e exponencialmente. Alguns exemplos desses alimentos são massas, pães, doces e sucos industrializados, que são ricos em açúcar.

A gestante necessita ter uma alimentação equilibrada, consumindo preferencialmente carboidratos complexos, de baixo índice glicêmico. Ou seja, vale a pena optar por alimentos fibrosos e integrais, além de diminuir consideravelmente a ingestão de doces, refrigerantes ou alimentos com alto teor de açúcar refinado.

Deste modo, prefira consumir legumes, frutas e proteínas, como uma opção mais saudável e melhor para uma dieta equilibrada.

Conclusão

A diabetes gestacional pode trazer sérios riscos à saúde da gestante e do bebê, aumentando a possibilidade de parto prematuro e hipoglicemia pós-parto.

Também por isso, o acompanhamento médico é fundamental e indispensável durante a gestação, e manter-se em um peso adequado, tendo uma alimentação saudável, com baixo índice de carboidratos com alto índice glicêmico são medidas que ajudam a diminuir os riscos e consequências da diabetes gestacional.

E você, já acompanha a Abreu Cardiologia nas redes sociais? Siga-nos no Instagram e no Facebook e fique por dentro de muitas dicas e notícias para manter sua saúde em dia.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.