Diabetes: o que é, tipos, sintomas e tratamento

diabetes, Diabetes: o que é, tipos, sintomas e tratamento, Abreu Cardiologia
Diabetes: tipos, sintomas, tratamento e prevenção

Só de ouvir esta palavra, já dá um certo medo, não é? No entanto, a diabetes é uma doença bastante comum, e com os maus hábitos alimentares da sociedade atual, a tendência é que estes números só aumentem. Se você tem ou conhece alguém que tenha diabetes e quer saber mais sobre a doença e seus tratamentos, continue lendo este artigo.

O que é diabetes?

Primeiramente, antes de entender o que é a diabetes, precisamos entender um pouco mais sobre a glicose e qual a função dela no nosso corpo. A glicose é um tipo de açúcar simples presente na corrente sanguínea, utilizada pelo corpo humano como fonte de energia. A obtenção deste composto ocorre por meio da ingestão de alimentos, variando com relação à velocidade de absorção. Nos doces, por exemplo, a metabolização da glicose pelo organismo leva apenas alguns segundos. Já em alimentos mais complexos, essa absorção pode levar até uma hora.

O corpo, por sua vez, absorve somente a quantidade de insulina necessária para a manutenção das suas funções. Todo o excesso é enviado para a corrente sanguínea, e é neste ponto que o pâncreas entra em ação.

Através da produção de insulina, o pâncreas faz a transformação de glicose em energia, para que esta seja aproveitada por todas as células. No entanto, a falta ou a má absorção da insulina pode incorrer na diabete e seus subtipos, já que a glicose deixa de ser metabolizada, permanecendo em excesso no sangue.

Dentre os riscos de uma diabetes não controlada, podemos citar as lesões renais, lesões oculares, insuficiência circulatória para as extremidades do corpo (principalmente pés e pernas), além dos mais graves e fatais, que são as doenças cardiovasculares, podendo levar a um infarto ou AVC.

Tipos de diabetes

Há três tipos mais comuns de diabetes. Veja a seguir:

Tipo1:  Ocorre quando pouca ou nenhuma insulina é liberada, pois as células sofrem um tipo de destruição autoimune. Consequentemente, a glicose não é metabolizada e permanece no sangue. É mais comum em crianças e adolescentes, mas também pode ser diagnosticada em adultos.

Tipo2: É o tipo mais comum da doença, que ocorre quando o organismo não é capaz de utilizar suficientemente a insulina que produz. Representa cerca de 90% dos casos totais de diabetes e está diretamente relacionado com a má-alimentação, sedentarismo e sobrepeso.

Diabete gestacional: Ocorre temporariamente durante a gravidez. Geralmente está relacionada com o aumento excessivo de peso da mãe, junto a uma alimentação inadequada. Além da possibilidade de complicações durante a gravidez e parto, esta condição pode favorecer o desenvolvimento de diabetes para o bebê.

Principais sintomas

  • Vontade de urinar diversas vezes ao dia, saindo do considerado normal para o paciente
  • Sede excessiva, já que a micção frequente causa desidratação
  • Emagrecimento rápido e fora do normal
  • Excesso de apetite
  • Infecções fúngicas nas unhas e na pele
  • Dificuldade na cicatrização de feridas
  • Alterações visuais
  • Problemas cardíacos e renais.

Em suma, é importante reforçar que muitos dos sintomas da diabetes podem ser confundidos com outras doenças ou com algo sem gravidade e que não exija cuidados médicos, o que pode piorar o quadro e dificultar o tratamento. Por este motivo diversos esforços de campanha são feitos voltados à prevenção.

Não minimize os seus sintomas. Se notar que você ou alguém próximo está urinando demais, perdendo peso de maneira muito rápida ou qualquer outro sintoma mencionado acima, não hesite em procurar um médico. Jamais se automedique, já que alguns tipos de medicamentos podem, inclusive, aumentar o nível de glicose no sangue.

Tratamento

O tratamento irá depender do tipo de diabetes do paciente, já que além dos sintomas, a origem também é diferente entre eles. Nos casos de diabetes tipo 1, por exemplo, as injeções diárias de insulina são obrigatórias na maioria dos casos. Por sua vez, isto é algo que nem sempre ocorre no tipo 2, que pode ser controlado apenas com a mudança de hábitos de saúde e alimentação.

Voltamos a reforçar aqui a importância da prevenção. Diabetes é uma doença que anda de mãos dadas com as doenças cardiovasculares e pode, sim, ser fatal se não for corretamente controlada. Assim, mantenha os seus exames em dia e ao notar os sintomas, consulte um médico.

Minuto Saúde – Dr. Tiago Bignoto

Se você quer cuidar mais de si e da sua família, inscreva-se em nossa lista de email para receber gratuitamente nosso conteúdo exclusivo com dicas práticas de saúde e prevenção.


Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Close Menu