Doença arterial periférica – o que é, sintomas, prevenção e tratamento

doença arterial periférica, Doença arterial periférica – o que é, sintomas, prevenção e tratamento, Abreu Cardiologia

A doença arterial periférica é muito comum. Por ano, são diagnosticados em média 2 milhões casos no Brasil.

A doença arterial periférica (DAP) prejudica a circulação do sangue nos membros inferiores e provoca, entre outras coisas, dor na hora de caminhar.

Isso porque na DAP ocorre a obstrução (aterosclerose) e o consequente estreitamento dos vasos sanguíneos, uma vez que há um acúmulo de placas de gordura e cálcio na parede desses vasos. Como resultado, eles se tornam menos flexíveis, além de excesso de inflamação no local.

Esse quadro também pode ser um sinal de que há algo errado em outros vasos do corpo. Tanto é que indivíduos com a doença arterial periférica (DAP) correm um risco 60% maior de ter entupimentos nas artérias que irrigam o coração e o cérebro. Por isso o risco de infarto e AVC é muito maior para esses pacientes.

Saiba quais são os sintomas

A doença arterial periférica apresenta sintomas mais perceptíveis nos membros inferiores, como por exemplo:

  • Fisgadas na perna, especialmente na panturrilha
  • Sensação de fadiga nas pernas
  • Claudicação intermitente (sensação de cãibra ao caminhar ou se exercitar), com melhora ao parar de mexer as pernas
  • Perda de pelos nas pernas e unhas dos pés enfraquecidas
  • Coloração mais esbranquiçada dos membros inferiores
  • Infecções constantes nos pés
  • Dor ou cansaço nos membros inferiores.
  • Dor no glúteo.
  • Sensação de queimação ou dormência nos pés.
  • Feridas ou rachaduras na pele das pernas e pés.
  • Perda de pelos nos pés ou dedos dos pés.
  • Dor nos pés ou dedos dos pés em repouso.
  • Mudanças na cor da pele (avermelhada, azulada ou uma coloração esbranquiçada)

Portanto, atente-se aos sintomas e procure um médico.

Como é feito o diagnóstico?

“O índice tornozelo braquial, exame clínico que compara a pressão arterial nos braços e nas pernas, é o principal exame para diagnosticar a doença arterial periférica. Se a pressão for menor nos membros inferiores — com uma diferença igual ou maior do que 0,9 — é provável que a DAP esteja instalada.

O diagnóstico precoce, cabe ressaltar, ajuda a evitar as consequências desse problema. Fique de olho nos sintomas e, acima de tudo, converse com um médico.” Conforme citado no artigo Veja Saúde.

Como prevenir?

Mudanças no estilo de vida e adoção de hábitos mais saudáveis são sempre indispensáveis quando se trata de saúde, afinal uma alimentação de qualidade e exercícios físicos devem sempre estar presentes tanto para a prevenção, quanto no tratamento de doenças.

Certifique-se de ter pelo menos uma porção de frutas, legumes e/ou verduras em cada uma das suas refeições. Faça a ingestão de líquidos como água e suco natural da fruta.

Há uma grande quantidade de alimentos com propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias e fazem bem para a circulação, como uvas, tomates, gengibre, amêndoas, peixes ricos em ômega-3 e condimentos, como cebola, alho, pimenta caiena e cúrcuma.

Combater ou evitar os fatores de risco como o tabagismo, obesidade, sobrepeso e hipertensão também é um importante passo na prevenção da doença arterial periférica e outras doenças cardiovasculares.

Como é feito o tratamento?

Exercícios físicos quase sempre fazem parte do tratamento, porque estimulam a circulação colateral – ou seja, a formação de pequenos vasos vizinhos das artérias que dão uma força para o fluxo sanguíneo na região.

As caminhadas são bem vindas, pois são de baixo impacto e podem ser feitas em qualquer lugar. Mas é recomendado ter a orientação de um profissional de Educação Física, para evitar que o exercício físico cause ainda mais desconforto.

Em alguns casos é recomendada a utilização de medicamentos para fazer a desobstrução dos vasos e em quadros mais severos, uma cirurgia minimamente invasiva coloca um stent na artéria para desobstruí-la. Essa rede metálica abre o caminho e facilita a passagem de sangue pelo local, não causando desconforto para o paciente e trazendo de volta o bem-estar.

Se identificou com algum desses sintomas? Sente desconforto ou cansaço constante nas pernas? Procure um médico cardiologista. A Abreu Cardiologia está à disposição para atendê-lo(a).

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.