Osteoporose: saiba mais sobre a doença

osteoporose, Osteoporose: saiba mais sobre a doença, Abreu Cardiologia, Abreu Cardiologia

A osteoporose é uma condição clínica que causa perda da massa óssea, afetando sobretudo mulheres na idade pós-menopausa.

Com a perda, o osso fica poroso e muito frágil, o que pode levar à fraturas. Também por isso, a osteoporose é a principal causa de fraturas e quedas entre idosos.

A principal razão para que haja essa perda óssea é a falta do hormônio estrógeno, que atua na proteção óssea. Assim, com a chegada da menopausa, os níveis desse hormônio caem consideravelmente, levando à perda da estrutura óssea.

Só para se ter uma ideia, a osteoporose é considerada o segundo problema mais grave de saúde pública, ficando atrás apenas das doenças cardiovasculares.

Os locais mais afetados pela osteoporose costumam ser a coluna, o punho e o colo do fêmur. O colo de fêmur é o local mais grave, uma vez que fraturas nessa região comumente resultam em imobilidade ao paciente, com uma recuperação mais lenta e difícil.

Osteoporose: fatores de risco

  • Idade (comum na fase de vida pós-menopausa);
  • Sexo (atinge mais mulheres);
  • Histórico familiar;
  • Pessoas de pele branca;
  • Sedentarismo;
  • Tabagismo (mulheres fumantes têm maior propensão a desenvolver a doença);
  • Ingestão de bebida alcoólica em excesso;
  • Baixa ingestão de cálcio;
  • Níveis baixos de vitamina D;
  • Uso de determinados medicamentos como anticonvulsivantes, remédios para tireoide e heparina;
  • Outras doenças associadas, como artrite reumatoide e diabetes.

Sintomas

A osteoporose não apresenta nenhum sintoma claro o suficiente para que o próprio paciente note que está com algum problema. Assim, na maioria das vezes, a doença só é descoberta em fase avançada ou quando já ocorreu alguma fratura.

Diagnóstico

O exame mais utilizado para diagnóstico da osteoporose é a densitometria óssea por raios-X. É um exame não invasivo e bastante eficaz.

Por meio desse exame, é possível fazer a medida da densidade óssea na coluna lombar e no fêmur, comparando-a com valores de referência para a idade e sexo do paciente.

Baseado nos valores, o diagnóstico pode ser normal, osteopenia (que significa uma pequena perda de massa óssea) ou osteoporose (caracterizada por uma perda maior de massa óssea).

Tratamento

O tratamento da osteoporose leva em conta o grau e a razão para os ossos estarem com baixa densidade.

Existe uma série de medicamentos que podem ser utilizados, no entanto, a prevenção é sempre a melhor estratégia para evitar o problema no futuro.

Dentre as medicações mais comuns estão os bifosfonatos e o alendronato, que só podem ser prescritos pelo médico que acompanha o paciente.

Prevenção da osteoporose

A prevenção da osteoporose envolve hábitos saudáveis de vida, que devem estar presentes em nosso dia a dia.

  • Tenha uma vida ativa, com a prática regular de atividade física. Músculos tonificados ajudam a reduzir o risco de quedas;
  • Tome quantidade adequada de sol, uma vez que a vitamina D (vinda da exposição solar), ajuda a fixar o cálcio no organismo;
  • Tenha uma alimentação com consumo de cálcio (leite, iogurte, etc.), uma vez que o nutriente é essencial para a composição óssea. Se sua alimentação for pobre em cálcio, a utilização de suplementos pode ser recomendada.

Em resumo, assim como ocorre com as doenças cardiovasculares, a prevenção é o melhor caminho um organismo forte e saudável. Uma vida saudável e ativa, juntamente com a boa alimentação, ajudam a prevenir a osteoporose e suas consequências.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.